terça-feira, 30 de março de 2010

Batizado - capítulo 1

Mesmo não sendo católicos, queremos batizar a Jade na Igreja Católica pela tradição da família. Acho muito bonito o ritual (sou meio espiríta, mas ultimamente não tenho estudado nem frequentado nada!).
Estamos decidindo onde vamos batiza-la, mas a tendência é que seja na cidade onde o pai dela cresceu (Cambuquira - MG - a 350km de minha casa!), onde a Igreja é muito bonita.
A sogrinha está conversando com o padre e o melhor, além do casal de padrinhos de batismo, também pode ser um casal para a consagração.
Bom, eu tinha convidado uma prima e seu esposo para serem padrinhos da Jade. Mas eu também queria colocar os meus cunhados (um casal). Fui comentar isso com ela por telefone ontem, que seriam eles dois e os irmãos do meu marido e que eu ainda não tinha decidido quem seria de batismo e de consagração (na verdade já: cunhados de batismo e eles de consagração).
Acredita que ela fez doce? Que lá ela ia ter que ver se poderia ir, que o marido dela não pode viajar assim porque tem plantão no trabalho (é corretor). Poxa! Sinceramente fiquei p***! A gente dá o que a gente quer, ou não? Qual é a diferença entre ser padrinho de batismo ou consagração? A Jade vai chama-la de madrinha do mesmo jeito!!!
E fora que seria um meio de toda a família dele participar de algo na vidinha da Jade. Eles não têm condição de virem para cá! Vou me manter firme, até porque a Igreja é uma graça e criaria um vínculo da Jade com a cidade natal do pai dela!! O que acham? Estou errada??

3 comentários:

  1. Tá mais q certa amiga, afinal o batizado da Jade já tem planejamento desde o quarto mês de gestação né?
    To com saudades!!!
    Bjks

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que vc esta certa em dividir um pouco com seu marido e a familia dele... se ela nao entender, paciencia. A Bebella tb tem 2 casais de padrinhos, um auqi no Brasil e outro na Inglaterra e todo mundo aceitou de boa.

    Bjos

    ResponderExcluir