quarta-feira, 10 de abril de 2013

Entendendo as possíveis intervenções: Manobras de Valsalva e Kristeller

Existem algumas manobras que são realizadas durante o trabalho de parto que podem auxiliar ou prejudicar a mãe e o bebê. Não é meu intuito neste post entender ao pé da letra todas elas, até porque não tenho formação médica e sou "apenas" uma mãe querendo entender os processos que meu corpo poderá passar na hora "P". Aqui quero apenas entender duas manobras que sempre escuto/leio comentarem que são extremamente prejudiciais no trabalho de parto: Valsalva e Kristeller.


Manobra de Valsalva

A manobra de Valsalva, amplamente difundida, é realizada ao se exalar (emitir ou lançar fora de si) forçadamente o ar contra os lábios fechados e nariz tapado, forçando o ar em direção ao ouvido médio se a tuba auditiva estiver aberta. Esta manobra aumenta a pressão intratorácica, diminui o retorno venoso ao coração e aumenta a pressão arterial.

O seu uso na obstetrícia começou quando as mães altamente medicalizadas não conseguiam sentir a forte vontade de fazer força e acreditava-se que a manobra de Valsalva iria acelerar a descida do bebê e assim dar lugar a um parto mais rápido.

Em Janeiro de 2006 o Gray Journal (Jornal Americano de Obstetricia e Ginecologia) publicou um estudo que revela o seguinte:“ a diferença tem pouco impacto em todo o tempo do parto, cujos especialistas dizem que pode ir além das 14 horas em média, quando às mulheres foi dito para fazer força em cada contração, deram à luz 13 minutos mais rápido que aquelas  que não receberam qualquer tipo de instrução”.

A manobra de Valsalva foi ainda identificada como um dos fatores de risco de trauma genital em partos vaginais espontâneos e normais, hospitalares, em mulheres primíparas assistidas por enfermeiras-parteiras,  num estudo publicado no The Birth Journal em Junho de 2006. (3)

Se experimentar fazer a manobra de Valsalva, independentemente da posição em que estiver consegue perceber que o efeito gerado é o contrário ao que o corpo necessita (sensação essa que é ampliada no período expulsivo, ou seja o períneo é contraído em lugar de descontrair).

Poder-se-á ainda questionar se o tão falado e sem suporte científico, recurso à episiotomia, não será também fruto da manobra Valsalva, tendo em conta as suas consequências na zona do períneo.

Todos deveríamos re-aprender que o período expulsivo fisiologicamente funciona e que não necessita de ser cronometrado nem dirigido por técnicas respiratórias. Precisa apenas de ser espontâneo para quem está diretamente envolvido: Mulher e Bebê!


Manobra de Kristeller

http://www.apublica.org
É a manobra de expressão no fundo do útero, utilizada durante as contrações do parto e que visa empurrar a criança em direção à vagina. É realizada por auxiliar do obstetra, juntando-se as duas mãos no fundo do útero, sobre a parede abdominal, com os polegares voltados para frente, tracionando-se o fundo do útero em direção à pelve, no exato momento em que ocorre uma contração uterina durante o parto natural. Pode também ser utilizada durante a cesárea.

A manobra de kristeller é reconhecidamente danosa à saúde e, ao mesmo tempo, ineficaz, causando à parturiente o desconforto da dor provocada e também o trauma que se seguirá indefinidamente

Essa manobra é proibida em alguns países e não é recomendada pela OMS, pois além de ser uma violência com mãe e bebê, pode prejudicar o assoalho pélvico, o períneo, causar inversão uterina, ruptura uterina, e uma série e complicações no parto e pós-parto, podendo inclusive causar a morte materna ou fetal.  NÃO É INDICADA em caso algum!

Fonte: Manobra de Valsalva - Wikipédia; Bionascimento - Manobra de Valsalva; Manobra de Kristeller - Wikipédia; Mulheres Empoderadas - Quando o bebê nasce; Aplicação das ações preconizadas pelo Ministério da Saúde para o parto humanizado em um hospital de Santa Catarina - Reis, A.E. & Patrício, Z.M.;

Recomendo leitura: Amigas do Parto - Recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) no Atendimento ao Parto Normal;

Nenhum comentário:

Postar um comentário